Olá meus queridos, desta vez a Hookah Trip é internacional. Descreverei um pouco da minha experiência indo para Dubai, Jordânia e conhecendo a fábrica da Mazaya a convite. Rosh feito, carvão aceso, arguile pronto, então vamos lá!

Malas preparadas, passaporte na mão, arguile na mala e vamos para o aero­porto. Nessa viagem me acompanham Rodrigo “Zoio”, Vinícius Gregoraci, Ma­riana e Luiz Oliani.

Já no avião aprendi a frase mais im­portante em inglês: “two red wine please”, amo vinho e 14 horas de voo seriam mais fáceis de passar com ele. Mas aqui vai um conselho, se pedirem “two red wine” a 15 minutos do pouso guardem, não virem de uma vez, pois chegar na imigração sem falar árabe ou inglês e meio alterado não é uma boa, ainda bem que tínhamos o Gregoraci para nos salvar. Uma dica: em Dubai se você estiver em escala tem que pagar visto trânsito, faça com antecedência, sairá bem mais barato.

Saindo do aeroporto em Dubai às 21:30 o que sinto é que fiz uma escala no inferno, 39°C a noite. Logo percebemos que é impossível andar pela cidade, o calor castiga. Como só ficaríamos um dia resolvemos conhecer o shopping, o aquário imenso e o prédio mais alto do mundo, o Burj Khalifa com 828 metros de altura e 163 andares. A construção levou apenas 6 anos, subimos até o 124° andar a 442 metros de altura, esse passeio realmente é obrigatório, o ele­vador é uma atração à parte, sobe tudo em apenas 1 minuto. A vista do deck é impressionante e estamos praticamen­te na metade da altura, infelizmente não dá para ir ao 163° andar, pois se trata de uma área restrita. A impressão que temos é que Dubai é uma cidade em construção que gira em torno do shopping Dubai Mall imponente e um dos maiores do mundo com mais de mil lojas, uma pista de hóquei, aquá­rio e restaurantes de todos os gostos. Para um belo lanche acon¬selho o Five Guys, mas só peça batata apimenta se realmente gostar muito de pimenta, não acredite quando seu “amigui¬nho” falar que “é fraquinha”. No outro dia já estávamos indo para a Jordânia, e novamente, “two red wine please” rsrs, mas agora só 3 horas de viagem, passou muito rápido.

Após a chegada na Jordânia, nos encon­tramos com o pessoal que também iria conhecer a fábrica e com o Sr. Hicham, representante da Mazaya.

A Jordânia é um caso à parte, sur¬preendeu e me apaixonei pelo país. Conhecemos restaurante maravilhosos, com comidas que nos fazem re¬pensar o que chamamos de “comida árabe” aqui, e o grande diferencial é poder co­mer acompanhado de um bom arguile montado do jeito deles com perfeição. O comércio no centro me lembrou a 25 de março em SP, mas sem milhões de pessoas se acotovelando, lá é o local certo para as lembrancinhas, pechinche eles são bons negociadores. Não deixe de visitar uma loja de arguile, lá pratica­mente todas têm essências artesanais vendidas a granel, só não se empolgue porque voltará com mais de 15 kg de essência, rs. Nos hotéis o ar¬guile é proibido, mas em bares e restaurantes é uma das primeiras coi¬sas a serem oferecidas.

O passeio mais incrível foi a ida ao Mar Morto, a dica é que escolha bem o ho­tel, ele fará toda a diferença. O lugar é lindo e ao entrar no mar você não afun­da, pois a salinidade é absurdamente alta. Aconselho ir com pessoas sem o famoso “espírito de porco”, ir com pessoas como Zoio e Greg, não é acon­selhável, todos ficamos sabendo como arde quando cai uma gota no olho ou na boca. Aproveite e passe a lama medicinal pelo corpo, realmente irá te rejuvenesce.

Mas a viagem não era somente diver­são, fomos conhecer a nova fábrica da Mazaya e ajudar no desenvolvimento de novos sabores. A fábrica assusta pela sua imponência, tudo tem núme­ros astronômicos. Segundo o tradutor o prédio do depósito de matéria prima tem 13 metros de altura onde cabem 40.000 pallets de material, a Mazaya é a primeira fábrica do mundo a construir uma câmara frigorífica onde mantém sempre a 10°C, caberá 240 toneladas de produto onde todo o processo de re­tirada de material será feito eletronica­mente. Esta máquina só está disponível nas três maiores fabricas de tabaco do mundo. A curiosidade é a essência Li­mão com menta que tem uma máquina própria funcionando 7 dias por semana, dedicada 100%, apenas para esse sa­bor, um dos mais vendidos por lá.

Quanto aos sabores novos? Experimen­tamos mais de 30, a equipe toda apro­vou 14 e uma coisa é certa, esperem novidades boas por aí, deixo aqui mi­nha contribuição para o suspense dos próximos episódios, rsrs.

Obrigado a Mazaya por nos proporcio­nar essa experiência inesquecível, e ao Sr. Hicham por tanta disposição em nos acompanhar em todos os passeios e negociar os descontinhos das nossas pequenas comprinhas!

Por: Redação HBE