Pensando em viajar? A HBE tira algumas dúvidas e dá dicas!

Seja em viagens longas ou curtas, de avião, carro ou ônibus, atente-se sempre que os seus pertences estejam bem seguros e embalados, assim evitamos chegar ao destino e termos aquela surpresinha indesejável, um rosh quebrado, uma base em mil pedaços ou até mesmo a sua stem em formado de “(“, risos.

Não esqueça de fazer um check-list bem generoso para os dias que irá passar fora, não deixe para trás o rosh, base, stem, carvão, alumínio ou controlador de calor, mangueira e um dos itens mais importantes, sua essência favorita!

Para viagens de carro ou ônibus em território nacional não temos restrições específicas ou “problemas” com quantidade de tabaco, a não ser que sua mala extrapole os limites que sua viação estipula ou que seu carro possa transportar.

Procure sempre deixar na bagagem que irá para o compartimento de carga ou porta malas os itens que tem o menor risco de sofrer avarias graves como a essência, papel alumínio, acendedores de carvão, controladores de calor e até mesmo a própria stem.

Por segurança a melhor opção para os objetos perfurantes, como pegadores de carvão e acessórios para fazer a furação, estejam nas malas que serão despacha das, seja em avião ou ônibus. Os gases que utilizamos para os fogareiros por¬táteis, que não dependem de energia, são proibidos em voos já que são gases altamente inflamáveis.

Nas viagens nacionais ao despachar suas malas fique atento às regras da companhia aérea que irá viajar, as regras da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e INFRAERO, para que não seja incomodado durante ou antes do voo por irregularidades em sua bagagem. É bom salientarmos que em voos nacionais não existe nenhum tipo de limitação para as bagagens que levam tabaco, porém como recomendação sugerimos trocar os potes e caixinhas de 50g abertas por produtos lacrados e totalmente fechados, desta forma você evita que suspeitem de seus produtos e também se protege evitando que alguma essência vase em seus pertences.

As mesmas dicas para despachar suas bagagens em voos nacionais servem para os internacionais, porém com mais cuidado, pois há maior rigor nas inspeções. O grande problema, no entanto, não é na chegada do país que irá visitar e sim no retorno ao Brasil, onde diversas pessoas são tributadas e muitas vezes tem seus bens retidos. Todos os viajantes acima de 16 anos são obrigados a apresentar a declaração de bagagem acompanhada (DBA) para verificação de tributação. No entanto, alguns itens não são tributados, como livros, folhetos e/ou periódicos, bens de uso ou consumo pessoal do viajante em quantidade compatível com as circunstâncias da viagem, por exemplo: roupas, óculos, calçados, relógio, telefone celular usado e uma máquina fotográfica usada, bens nacionais, são os bens adquiridos no seu país de origem, ou nacionalizados que estejam retornando ao país e outros bens adquiridos no exterior, observando o limite de valor global de US$ 500,00 (quinhentos dólares Estadunidense).

Para nós arguileiros adquirir US$ 500,00 (Quinhentos dólares) de tabaco importados, sem impostos seria uma maravilha, um paraíso, porém esbarramos em um ‘problema’ que temos com a liberação quantitativa imposta pela Secretaria de Aviação Civil.

Confira abaixo uma lista dos objetos, quantidades liberadas e os isentos de tributação:

a) 12 litros de bebidas alcoólicas;

b) 10 maços de cigarros, contendo 20 unidades cada;

c) 25 charutos ou cigarrilhas;

d) 250 gramas de tabaco (fumo);

e) 20 unidades de souvenir e pequenos presentes, de valor unitário inferior a US$ 10,00, desde que não haja mais do que 10 unidades idênticas;

f) 20 unidades de bens não relacionados nos itens “a” e “e”, desde que não haja mais do que três unidades iguais.

Boa viagem!

Por: Redação HBE