Salve, salve galerinha da revista HBE! Estão pensando em comprar um arguile ou trocar aquele setup meio passado por outro? Mas qual comprar, um mini ou um grande?

Vamos fazer algumas comparações e especificar alguns prós e contras para tentar auxiliá-los nesta dúvida.

Primeiramente os arguiles minis. Esse tipo de stem ‘estourou’ no meio da galera narguileira, virou febre, mas vale a pena adquirir um? Eles têm como maior trunfo a portabilidade e o preço final, exatamente pelo fato de usarem menos material na construção e utilizar vasos pequenos, que tem um custo mais baixo. No Brasil já existem diversos modelos de arguiles mini, como por exemplo BES, Fahir, Triton, Fit, Joker, mini Genius, entre outros.

Todos seguem o mesmo padrão de funcionalidade = ser leve. Possuem puxada e respiros leves, alguns mais funcionais que outros. Uma diferença bem explícita é que os vasos dos minis, são bem menores, ou seja, a água acaba esquentando e sujando mais rápido, logo precisará fazer a troca mais vezes, caso queira fazer mais roshs.

Também temos os minis egípcios, como Mini Kamanja, Mini Beast, entre outros, que já tem uma estética mais trabalhada. Baseado no padrão egípcio de funcionalidade: puxada mediana, respiro mediano e funcional.

Agora os grandes! Arguiles grandes normalmente tem uma estética mais trabalhada, se encaixam visualmente melhor em diversos acessórios, como vasos e pratos, porém tem um valor um pouco mais salgado.

Os arguiles grandes nacionais seguem o mesmo padrão de funcionalidade citado acima, no exemplo dos minis, todos com puxadas e respiros leves, muitos deles possuem o corpo rosqueável, o que também pode facilitar muito bem a locomoção, pois apesar de manter o peso você divide em partes menores, cabendo facilmente em bolsas.

Já os egípcios são ainda mais trabalhados, com a funcionalidade bem parecida com os exemplos citados sobre os minis egípcios: respiro mediano e funcional e puxada um pouco menos leve que os nacionais, porém não são rosqueáveis o que pode dificultar um pouco o transporte, pois pelo tamanho não cabe em qualquer bolsa.

Diante destes pontos, podemos dizer que o que mais difere entre eles é o tamanho, valor e estética. Se prefere desempenho e portabilidade, opte por um nacional que o satisfará muito bem, assim como se prefere uma estética mais detalhada, arguiles artesanais, com desempenho mediano, opte por um egípcio que fará uma excelente escolha.

A stem em si seguirá um sistema de funcionalidade bem parecido, o que diferenciará mais o seu arguile em funcionalidade são os acessórios que você utilizará: o rosh, o alumínio ou controlador de calor, o carvão e a mangueira, então escolha bem na hora de pegar os opcionais, estes poderão dar um up no projeto final.

Por: Felipe Campanelli