Fala rapaziada da Revista HBE, tudo bem com vocês? Espero que sim!

Nessa matéria decidi abordar algo que vem de gerações, algo além do ramo do arguile, com sua simplicidade e alta potência. A protagonista desta edição é uma folha, isso mesmo uma folha: ‘Mentha é um gênero botânico da família Lamiaceae cujas espécies são popularmente chamadas de menta ou hortelã’. E também um dos sabores mais encontrados nas tabacarias e lounges!

-Mas por que menta com tantos sabores por aí?
A menta refresca. Nem doce nem salgada, um pouco amarga e bem gelada! Perfeita para fumar pura e talvez o fumo ‘coringa’ mais utilizado, possibilitando ‘gelar’ outros sabores quando misturada.

-Mas nem toda menta é gelada!
Sim, temos outras espécies de folhas, também utilizadas como sabores, por exemplo:
Temos a Hortelã, gelada e doce, como uma bala.
A Hortelã pimenta, talvez o mais forte, o mais gelado, de sabor amargo e picante.

Agora nos aprofundando mais no assunto, voltando há cerca de doze anos, podíamos falar de um fumo, talvez o principal quando o quesito era refrescar. Quem não se lembra da Mizo Menta? Aquele fumo que não podia faltar, sendo puro ou misturado com outros sabores, fazia sucesso nas sessões.

Tínhamos também a Al Fakher, menos refrescante e mais adocicada, puxada para a hortelã. Aos poucos alguns fumantes importavam algumas variedades a mais, como: Starbuzz, Hookafina, Fantasia e a tão aclamada Tangiers Cane Mint. Talvez a menta, com maior procura até hoje no mercado, pela sua originalidade de sabor e tabaco forte.

Anos depois com a queda na importação da Mizo, surgiu no mercado uma boa promessa, que meses depois viria a ditar um novo conceito de sabor mentolado: a Zomo Strong Mint. Uma menta paralela a da Tangiers, com proposta parecida, que tomou o mercado por ter um custo absurdamente mais baixo que sua concorrente americana.

Então, com uma grande variedade de sabores já formados no mercado, as fábricas tentaram fazer sabores ainda mais fortes. Para sobressaírem os demais, com isso, surgiu a Menta da Pure Tobbaco, a FML (Fuck My Lungs) um fumo incrível, com um poder de referência além do normal.

Fascinante! Incrível as variações que se consegue ter com a mesma matéria-prima.

Hoje já encontramos outras releituras desses sabores muito conhecidos, e a meta é experimentar todos!

Obrigado a todos, tenham uma boa leitura!