Na vida podemos fazer várias mudan­ças, das mais simples, como mudar de rota para o trabalho, cortar o cabelo (esse não é o meu caso), até as mais complexas como mudança de emprego, reeducar-se com alimentação, escolher ter uma vida mais saudável, abdicar de farra para estudar etc.

Pensei nisso quando um amigo disse que estava largando o álcool e as dro­gas: “você só larga um hábito ruim, ou que não deseja mais quando aprende a diferença entre ‘o que quer’ e ‘o que precisa’. Eu vi que não sabia usar drogas e álcool, elas é que me usavam. Então percebi que não precisava daquilo para ser feliz, mas queria muito aquilo. Nada contra quem curte sair e beber, mas vi que não precisava. Não consigo fazê-lo e me sentir bem e feliz depois disso.”

Quantas vezes não precisamos, mas queremos sair para extravasar? Ficar­mos loucos? Gastar em coisas que não adicionam nada? Porém, saibamos acei­tar as consequências.

Então, vamos refletir antes de tomar uma decisão:

Você, realmente precisa? Ou você sim­plesmente quer isso?

Quando entendermos a diferença entre precisar e querer, saberemos o que é fácil ou complexo em nossas vidas. E as decisões não serão tão difíceis assim.

E como saber como fazer a mudança? Ou mesmo quando? O primeiro questiona­mento que você deve fazer é “eu quero mudar de vida?”.

Se sua resposta for sim, então é a hora de você ter pensamentos positivos de que vai conseguir realizar. A força de vontade só depende de você. Para que isto dê certo é necessário, antes de tudo, se permitir mudar.

Fácil não é, mas… Namastê!

Por: Giancarlo Signore