Pensa numa “moda” que tomou conta dos jovens. Muitos pais sequer suspeitam que seus filhos consumam regularmente essa nova moda. Outros, incentivam esse absurdo. Os jovens acham que o gostinho de laranja é saboroso e não faz mal, mas não suspeitam do veneno que está invadindo o próprio corpo. A presença de substâncias cancerígenas pode apresentar sérios problemas no futuro. Além disso, essa nova moda talvez seja um vício. Vício esse, que pode ter sido responsável pela morte de 3,7 milhões de pessoas no ano passado, vítimas de diabetes. Sim! Estou me referindo a refrigerantes gaseificados. Achou que fosse sobre tabaco de arguile?

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 1 em cada 11 pessoas no mundo possui diabetes e cerca de 60% das mortes cardiovasculares estão ligadas a ela. É uma epidemia. E mesmo assim, você tem acesso a refrigerante em qualquer esquina do planeta. Não passa de uma variação de Soda Cáustica com aroma artificial. Se isso vale para o refrigerante, também deveria valer para tudo que possui flavorizantes para ficar mais agradável de consumir, correto? Claro que não!

O tabaco flavorizado foi banido do estado da Califórnia (EUA) no mês de abril deste ano (2019). O senador José Serra, propôs uma emenda na Constituição sobre as leis antitabagistas, proibindo a importação de tabacos flavorizados. Esse seria o primeiro passo para uma eventual proibição completa.

A falta de lógica se aplica quando temos um mesmo peso e utilizamos duas medidas. Querer proibir você de consumir um tipo de tabaco, que comprará com seu dinheiro e prejudicará o seu corpo, é o mais alto absurdo do direito individual de escolha. Chega a soar esquizofrênico ver um país com 13 milhões de desempregados, mais de 60.000 homicídios anuais, média de escolaridade de 7 anos, acesso à universidade para 2% da população, e ser obrigado a ler proposta de político corrupto querendo cercear minha liberdade de escolha.

Por: Eduardo Macário