Existe um ditado árabe que diz: “Quem planta tâmaras, não colhe tâmaras!” Isso porque antigamente as tamareiras levavam de 80 a 100 anos para produzir os primeiros frutos. Conta-se que certa vez um senhor de idade avançada plantava tâmaras no deserto quando um jovem o abordou perguntando: ‘Mas por que o senhor perde tempo plantando o que não vai colher?’. O senhor virou a cabeça e calmamente respondeu: ‘Se todos pensassem como você, ninguém colheria tâmaras’. Ou seja, não importa se você vai colher, o que importa é o que você vai deixar… cultive, construa e plante ações que não seja apenas para você, mas que possam servir para todos e para o futuro. Nossas ações hoje, refletem no futuro. Se o tempo não é de colher, bem, pode ser tempo de semear.

Legado não é o que você deixa quando morre, mas o que entrega quando sai de algum lugar. Todos os dias, quando volta do trabalho, deixa um legado na empresa. Quando sai de uma reunião, de uma conversa, do posto de combustível, de um jogo, ou de qualquer outro lugar, está deixando uma marca na vida das pessoas; este é o seu legado.

A cultura islâmica assimilou elementos de diversas culturas, reelaborando-os e enriquecendo-os com contribuições originais. Assim, dentre as principais realizações culturais dos árabes, podemos destacar: ciências (álgebra, geometria); medicina (varíola e o sarampo e descobriu a natureza contagiosa da tuberculose), artes plásticas (pela proibição de se representar formas vivas; a arquitetura sofreu influência bizantina e persa).

Achava que o legado deles era apenas nosso amado narguilé, confesse!

Namastê

Por: Giancarlo Signore