O crescimento dos ambientes próprios para o consumo de arguile é notório para todos. Desde cidades gigantes como São Paulo e Curitiba, até pequenos municípios do interior de estados De Norte a Sul. Mas o que isso quer dizer Saka?

O que gostaria de frisar na coluna de encerramento de 2017 é que o ano foi de muitas conquistas para o mundo da shisha no Brasil, inclusive com a criação de diversos lounges, cada um com seu objetivo e propósito. Isso proporcionou uma variedade ainda maior de estilos e perfis, cabendo ao público escolher qual lhe agrada mais com o seu formato agitado, calmo ou até mesmo misturado.

E não acredito que a maioria deles esteja infringindo as normas de um shisha/hookah lounge. Paro para pensar na gastronomia japonesa, que ganhou suas variações e modernidades em solo brasileiro. Se gosto? Não. Respeito? Com certeza. O DNA verde e amarelo é sobre renovação, criar algo que seja do gosto tão peculiar de nosso povo. E isso não seria diferente com o arguile.

A opção dos ambientes próprios vem ganhando adeptos, principalmente casais que buscam entretenimento de apreciação ambígua com um nível de energia satisfatório, interessante e divertido. Sinônimo disso são os aniversários que são comemorados semanalmente, festas regadas à união, risadas e momentos compartilhados, tudo que o universo da shisha sempre proporcionou e ganha formas diferentes de ser aproveitado.

Mas atente-se. Busque sempre um lounge de qualidade e ótimo serviço. Não permita que o mercado cresça com profissionais que não estão adequados para um bom atendimento e/ou contribuindo para uma melhor visão da sociedade sobre tudo isso que falamos durante as edições da HBE. Contamos contigo e aproveite um bom lounge para celebrar a vida! Até 2018! Boas festas e compartilhe emoções!

Por: Gabriel Sakamoto