Faaala rapeize! Cês tavam com saudade, né?!

Ah, não?!

Mesmo assim esses dois trouxas vem aqui mais uma vez nesta coluna tratar de um assunto importante para nós.

Sabemos que não temos moral, mas hoje o dia é de lição de moral.

A fita é a seguinte: vocês fumetinhas recentes não sabem o quão fácil estão as coisas hoje no que tange a acessibilidade de produtos. E não nos levem a mal, isso não é nem de longe uma coisa ruim. Hoje dispomos de uma variedade gigantesca de produtos, onde boa parte deles são de ótima qualidade e por um preço que, comparado aos dias de outrora, são até satisfatórios.

O problema é que junto com isso muito babaca por aí sente-se no direito de julgar o amiguinho ao lado, por ele ter um setup inferior, não usar fumo premium, usar mangueira descartável, usar carvão que não é de fi bra de coco, dentre outras babaquices.

Sabia que você é um babacão quando faz isso?

E daí que o mano do lado fuma num nargos chinão, usa essência de valor inferior ou carvão de acendimento rápido?

O que a gente percebe hoje é que se você não tem uma Boho no seu setup, um arguile com o fluxo mais leve que uma pena, uma mangueira antichamas com piteira de metal, um prato entalhado a mão por fadas lésbicas do sul da América do Norte, rosh de silicone feito com borracha de seringueira da Noruega antiga e um controlador de calor 24k Magic do Bruno Mars, a galera vai te julgar. Isso é coisa de mongolóide!

Daora, você tem como comprar um arguile usinado, dutado, leve que a disgrassa (sic), com roshs boladíssimos e fumos que 250 gramas custam mais que meu tênis. Mas o que importa? Essa sua estética maravilhosa, um setup que mostra que tem dinheiro ou chupou a bola de papai até fi car em carne viva para ganhar, ou a boa e velha relaxada com seus amigos, aquela união marota, sensual e envolvente, que só essa nossa querida e cheirosa fumaça proporciona? O propósito do arguile é UNIR pessoas, criar um bom e relaxante momento para você e seus amigos e não para tentar mostrar que você é melhor porque tem mais dinheiro. Fume. Relaxe. Se divirta.

E deixa o vizinho cuidar da grama dele do jeito que ele bem entender.

Por: Pombo de Adão